sábado, 19 de junho de 2010

Celebro o que não fiz


Eu ainda não consegui compor uma carta honesta,
Uma música simples,
Um amor verdadeiro
Nem plantei uma árvore.

Nem sequer escrevi um livro...
Não tive ainda um filho!
Quem os teve,
será melhor do que eu?

Eu que escrevo cansado
Mais até que o fim de tarde de luz abafada
De e tempo estranho e com cara de saudade
Que faz lá fora...

Minha alma é como a cortina
Tão fina...
Tão fina que a luz
Passa e atinge-me...

Pode também ser tão larga, tão grande,
Extensa, gigante, que nem o poeta soberbo
Ou mesmo o humilde nem o avarento
Poderiam ter.

Posso ser eu,
posso ser seu.
Posso viver e lutar ou desistir
Pois não me entendo.

Se o poeta entendesse a si mesmo...
Eu assumo que ainda não compus minha sinfonia,
Nem cantei a nova melodia,
Não autografei meu livro ou escrevi prefácios...

Mas no meu reino, meu palácio,
Eu sou mais eu
Não me desfaço,
Só aceito...

Que nem tudo o que está escrito presta,
Nem tudo que se canta é festa,
Nem todo amor é bom,
O bom amor contesta!

Sou admirador do viver feliz.
Sem vícios, sem norte,
A coragem de num pulso forte
Sou mesmo é imperfeito, aprendiz.

Sidonio Macedo Jr
Manaus - AM - Julho/2005

6 comentários:

  1. Os tempos passados já diziam que o pequeno (hoje grande) Sidoca, cara de pipoca, seria um grande escritor.
    Eu ainda guardo a carta que me enviou assim que se mudou para o Rio pela 1ª vez. E nela, um poema escrito por vc.
    É amigo!!! Vc correu e persegue ainda seu destino, já traçado há muito!!
    Vou ser sua seguidora aqui!! Seguidoraaaa!!
    Bjinhos amigo, primo, irmão do meu ♥!

    ResponderExcluir
  2. Gabriela Barcelos3 de agosto de 2010 13:28

    Gostei mt mt mt mt!!!!

    Mas... Manaus??? Morou lá tb? bjos!

    ResponderExcluir
  3. Bella, obrigado pelo carinho de sempre. Precisa me mandar uma cópia dessa carta e do poema. Não tenho idéia de como sejam. Será ótimo saber o que eu pensava dez anos atrás.

    Gabriela, obrigado! Não Morei em Manaus não. Estava por lá a trabalho. Passei um mês na cidade e estar longe de casa me levou a escrever bastante. Resolvi recuperar as memórias.

    ResponderExcluir
  4. Amei, amigo! Lindo, lindo, lindo... e verdadeiro :)

    ResponderExcluir
  5. Sid, que texto mais lindo!!! Amei d+!!! Já sabe que sou sua fã, né!?! Te amo! Sucesso sempre!

    ResponderExcluir
  6. Vejo que a sensibilidade continua extrema em você, grande amigo! Amei o poema, traduz a grande sinfonia que será a sua vida, a sua história!
    Te adoro! Saudades, Paula Werneck.

    ResponderExcluir

Diz aí!