sexta-feira, 18 de junho de 2010

Re-re-requerimento


Quase um ano após a colação de grau tive a grata surpresa de saber, por meio de uma amiga, que os diplomas das turmas recém formadas estão sendo liberados antes das turmas que colaram grau há um ano ou mais, o que é meu caso. Estapafúrdia é a explicação (só para não perder o costume) de que houve mudança no processo interno e eu deveria me despencar até o campus para refazer um requerimento. A epopéia começa por telefone numa conversa mais ou menos assim:

Eu digo: "Mas criatura, vocês querem me dizer que eu preciso ir até aí para refazer um documento que já entreguei há oito meses por culpa de uma mudança de processo interno?"

O ser dou outro lado: "Sim".

E eu, cheio de amor para dar: "E vocês julgam que alguém que passa quatro anos numa universidade não quer um diploma? Não seria de se supor que ao colar grau, automaticamente o aluno deve estar nesta lista?" Até então havia resquícios de paciência e compreensão dentro de mim.

"Sim, senhor, mas o senhor precisa estar vindo até aqui".

Os bons sentimentos e a polidez começaram aqui a se esvair da minha conduta. Não suportei e desisti. Hoje fui pessoalmente refazer o tal requerimento. A atendente era outra e, muito solícita e bem disposta, pediu desculpas, concordou com meus argumentos e desabafos e... Desferiu o tiro de misericórdia:

"O senhor precisa estar esperando um mês para estarmos entrando em contato".

Calei na hora. Passou uma onda de ódio e decepção por dentro de mim que tomou todos os meus neurotransmissores. Acho que entrei em choque e travei. Sorte dela.
Sorri, agredeci, recolhi o comprovante e saí depressa.


Créditos do cartoon: Mike Keefe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diz aí!