sexta-feira, 30 de julho de 2010

Malandro é malandro, mané é mané... Um desabafo e o orgulho de ser DIPLOMADO.

Vencida a epopéia contra a morosidade de certa administração acadêmica e passada a espera pelos trâmites "burrocráticos" que, qual efeito dominó, tombam a inteligência de cada um dos envolvidos no processo, finalmente hoje, quase um ano após formado, pude por as mãos no Diploma. Já tinha álbum, DVD, foto caseira, poster na parede, lembranças, despesas... Enfim, tudo que uma suada graduação deixa de lembrança mas, faltava o principal.

Sentimentalismo à parte, passa mesmo em alguns minutos, um filme da história vivida nos quatro anos naquele prédio, naquelas salas, naquelas ruas vizinhas. Até dos tiroteios que rolavam nos morros cariocas e podiam se ouvir nas salas de aula. Mas, enfim, como não gosto de filmes longos, me livrei logo das lembranças e caí na realidade.

Inevitavelmente não pude deixar de lembrar e, é claro, esconjurar mais uma vez o agora EX (com maiúsculas, para destacar) presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o nosferatu GM, vulgo Gilmar Mendes. O conhecido sósia do Deputado do programa de humor A Praça é Nossa, só que em versão totalmente sem graça, liderou a "pantomima, a patuscada" (no melhor estilo Collor X Sônia Bridi). Sua tentativa de destruir a dignidade dos jornalistas formados, baixar a régua no patamar da qualidade de informação não foi suficiente para dissipar o orgulho de quem estudou e investiu em conhecimento, assim como não fez com que qualquer empregador, particular ou público, deixassem de exigir formação.

Nós, jornalistas por formação, seguimos nossa luta. E a vida segue.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diz aí!