segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Vá jogar sinuca! Histórias reais sobre um passeio furado.

Dia desses reunimos o povo e fomos botecar no Bigode´s, bar sempre lotado de gente interessante (ou nem tanto), na zona sul carioca. Goles depois, tramávamos uma viagem da turma. Rolou um brainstorming sobre possíveis destinos.

No meio do papo, saiu o nome Sana. Já ouviu falar? Se a resposta é "não", leia isto:
"O pessoal fumava (maconha) em toda parte e havia muita bagunça. Isso está mudando". Isabel Araújo, presidente da Associação Comercial e Ecoturística do Sana. Em http://www.viagensmaneiras.com/viagens/sana.htm)

Ouvi uma história em que, chegando ao vilarejo, uma hippie vendia artesanato feito de sementes, madeira e demais objetos reciclados.

Uma moças gostou das peças. A vendedora exclama:
- Massa, né?
A resposta da visitante, imediata:
- A, é massa? Menina, jurava que era madeira. Imita diretinho, né?

Confusão I. Claro, a mulher achou que estava sendo ridicularizada pela visitante. Tiveram de tratar de sair dali bem rapidinho. A resposta foi lesada apenas, e não maldosa.


Contava uma amiga que realmente não curte drogas (mas toma uma cerveja, porque não é de ferro!), acreditando nesta mudança, há alguns anos organizou um passeio com sua galera  pro Sana. Carregaram suas suas barracas e foram rumo ao desconhecido.

Minha amiga, cosmopolita ferrenha, começou a se dar mal com a idéia de acampar. Ao seu redor, tudo era fumaça. Sorveu tanta maconha alheia que é provável ter tido até larica. Irritada, foi prá fila do banheiro. Lá, uma alta consumidora de cannabis sativa (leia-se maconheira) dirige-se à ela e pergunta:

- Colega, tem seeeeda? (Seda, neste caso, é um papel usado para fazer cigarro)
E a resposta, ingênua veio logo:
- Seda não... Mas tenho Pantene. Serve?

Confusão II. A missão. Dizem que as pessoas ao redor tiveram que segurar a maconheira, que queria agredí-la ali mesmo.

Fica a dica: antes de ir prá um lugar desconhecido, pense se não é melhor ir jogar sinuca.  Lá taco é taco, bola é bola e mesa é mesa. Não tem engano!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diz aí!