terça-feira, 29 de novembro de 2011

Sobre o "sangue novo" da política

No começo, é tudo lindo. Um cara jovem, promissor, interessado em política e atuante. Aí, esse mesmo cidadão começa a "politicar", ganha nome e, eleito, passa a ter mais convívio com os porcos. 

Ele pode não comer da mesma lavagem, mas, de tão perto que anda, acaba, no mínimo, saindo com o cheiro do chiqueiro! Não vejo salvação. Já vi outros tantos aí, tidos como "promessas políticas" ou "renovação" se transformarem em mais do mesmo... Lamentável!

Semelhança: a política aproxima os pares,
contamina e transfigura os que subestimam
seu poder de contaminação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diz aí!